Historial


Nos meados dos anos 90 uma grande parte dos jovens estudantes era adepta de um novo estilo musical internacional em Angola, o estilo rock!!!... principalmente em Luanda por ser a capital e reagir directamente às mudanças radicais do mundo exterior. Era quase moda saber tocar guitarra, ouvir rock e ser “rocker”, incentivando grupos estudantis a juntarem-se e formarem as suas próprias bandas.

Em meados desta década o rock era tão falado que concertos ao vivo eram organizados nos pátios das escolas, teatros, etc. Nas discotecas, os estilos mais ouvidos na altura eram o techno (dance) e o pop rock, que posteriormente foram-se degradando no início do ano 2000 com a introdução do hip hop internacional, os rappers locais como os SSP, e devido à necessidade de alguns destes estudantes terminarem ou continuarem os estudos fora do país, o auge do movimento rock em Angola foi tendo o seu declínio apesar de algumas bandas continuarem e remar contra a maré.

Alguns anos mais tarde com a regresso de alguns dos estudantes que haviam finalizado os estudos, já com a experiência levada de Angola e aperfeiçoada noutro em outros sítios, estes decidem agrupar-se novamente para recriar algo novo. Mauro Neb, um dos jovens situado no contexto acima referido, ex-membro de uma banda rock angolana na altura chamada “Altruístas”e outras bandas namibianas como “Velcro” decide com o seu regresso da Namíbia, Windhoek, em 2000 formar uma nova banda mas o movimento rocker estava demasiado fraco; muitos haviam-se desinteressado pelo estilo, pela união de bandas... tocando só a solo devido à introdução do novo estilo hip hop no mercado e na moda, era mesmo difícil para pretendentes arranjar membros sólidos para enquadrar numa banda. Surgiu então a ideia da criação de uma banda com o nome de NEBLINA constituída por um só membro, Mauro Neb, que ensaiava com um outro grupo, os 2HTOPV e chegando mesmo a dar alguns pequenos concertos em alguns bares de Luanda nesse ano.

Michel Fio, era outro jovem regressado dos estudos na Africa do Sul, ex-membro das bandas de rock angolanas como os “Metal Thumb” e “Ácidos” enquadra-se na mesma situação já referida participando em alguns concertos inclusive no espectáculo da FILDA organizado em 1999/2000.

Num daqueles dias estes dois jovens foram apresentados e decidiram então fazer algo em comum. Quase um ano depois a banda estava contava com a participação de mais um membro Jair Amed, o baixista, e davam concertos de tempos em tempos, convidando algumas bandas em fase de crescimento, assim como outras antigas como os “Múmias”. Todo este tempo a banda tocava com o baterista dos 2HTOPV, Beethoven (Nelo) e numa fase posterior com Michel baterista da banda “Múmias” (agora Azyucan). Com a saída do Jair Amed no mesmo ano, entra Dário Henriques ex-membro dos Velcro e irmão do Mauro Neb, dando sequência aos concertos ao vivo da banda como novo baixista. Alguns meses mais tarde devido a ida deste para fora do país entra Nandinho (ex-baixista da banda Faddy Daddy) mais conhecido por Bocolo que foi o último baixista da banda até a sua partida também para a Namíbia, mas uma vez de regresso da Namíbia em Julho de 2006 volta para o baixo, sendo o actual baixista.

Com o passar do tempo e por não haver incentivo nenhum por parte dos jovens amantes do rock (bandas), e não haver pessoas com espírito de iniciativa e experiência suficiente no ramo e estilo musical, a banda ficou parada; quase dois anos sem actividade.

No início do ano de 2004, Mauro Neb e Michel Fio tomaram a iniciativa de entrar em estúdio mas sem êxito por razões técnicas e por descontentamento com a qualidade de som proporcionada pelo estúdio de que nos excusamos a dizer o nome. Em 2005, a banda não desistiu e mudou simplesmente de estúdio. O disco foi produzido nos estúdios Kriativa de Ruca Fançony, e apresentado ao “Music Hall” angolano em 28 de Janeiro deste ano de 2006, e chama-se INNOCENCE FALLS IN DECAY.

Esta foi a primeira banda de angolana a editar um álbum de rock na historia da música em Angola. Algumas bandas estiveram em estúdio gravando maquetes mas nunca alguém chegou ao ponto de edição e lançamento no mercado antes.

Esta banda designada por NEBLINA foi formada no ano 2001, tendo assim desde então já efectuado espectáculos ao vivo em bares (Bar U4, Flor da Sé), discotecas (Palos, Mathieu), Elinga Teatro, cinema Karl Marx, Estádio Nacional da Cidadela no segundo Super Bock Super Rock Angola, cinema Atlântico e Pavilhão Desportivo da Cidadela com a Gala da Paz e Gala do Mundial. Durante o Campeonato do Mundo Alemanha2006 em Hannover e em Celles os NEBLINA tiveram pontos altos com actuações que deixaram alemães e angolanos de boca aberta com o power da banda. Tendo conquistado já os seu próprios fãs com o estilo agressivo e ao mesmo tempo melódico, o ponto mais alto da banda é sem dúvida a presentação ao mercado do primeiro álbum de rock gravado por uma banda angolana. O título do álbum é INNOCENCE FALLS IN DECAY e foi apresentado na portaria da RNA no dia 28 de Janeiro de 2006.

NEBLINA, assim chamados, entraram em estúdio no início de Janeiro de 2005, e após dez meses o álbum estava preparado para lançamento.

Xamber (baixo), Beto (guitarra ritmo, depois baixo, e agora outra vez na guitarra ritmo), e Toke é Esse (bateria), são os membros mais recentes a entrarem na banda para fortalecer e moldar o corpo da banda, mas infelizmente Xamber teve necessidade de sair da banda por razões pessoais. De retorno da Namíbia está Bocolo que re-entra para banda em Agosto de 2006 com os seus formidáveis dotes de baixista acelerando este trem do rock que já anda a 120Km/h ou mais.

A banda também já participou em alguns programas de televisão como “Janela Aberta” e “Jovemania”; participou também em alguns programas de rádio tais como o lendário "Volume 10" da RFM, no "Boa Noite Angola" da RNA, e no "Submarino Angolano" da LAC.

Sem comentários:

Related Posts with Thumbnails

@ Vídeo oficial - "Filhos da Pátria" - Innocence Falls In Decay